Cursos de qualificação exclusivos ampliam oportunidades para mulheres

Número de 750813

A oferta de cursos como preparadora de doces e conservas, promotora de vendas, auxiliar de confeitaria, assistente administrativo, almoxarife, manicure e pedicure entre outros chegou a 14 municípios e amplia oportunidades para as participantes. Da cozinha da Cris saem, diariamente, roscas com geleia de jabuticaba, de leite condensado com coco, bolos de banana, entre outras delícias. Também desempregada e com filho pequeno e o marido doente, resolveu empreender. Autodidata, começou a produzir faixas e lacinhos de cabeça para recém-nascidos e crianças. Agora mandei fazer. Assim como Cristiane, Claudia acredita que o principal ganho, entretanto, foi em confiança. E é muito gratificante ouvir os relatos ao longo do curso, de transformações que foram possibilitadas, empregos encontrados, pequenos empreendimentos montados.

DOI: Por isso, o poema de Olympio deveria soar como algo presumível, como se para sua pergunta existisse apenas uma resposta. Em , logo no raiar do sol, um menino recém-nascido foi encontrado dentro de um uru cesto de palha na cercado da casa de um agricultor, nas proximidades de Fortaleza. Esse mesmo homem-feito - José da Costa Lobo - encaminhou a criança a uma senhora - vizinha sua - para que essa pudesse cuidar do menino, dispondo-se a pagar as despesas e separando uma cabra para lhe servir leite. Passaram-se quase dois meses quando José recebeu a visita do pai da criança.

Número de mulheres 147975

Lara para que trouxessem 25 mil imigrantes. A vinda de tantos imigrantes nesse curto período de tempo levou o estado a edificar a Hospedaria Horta Barbosa no município de Juiz de Fora, que servia para hospedar os imigrantes em trânsito. Como exemplo, no ano de entraram 6. O governo estava gastando dinheiro subsidiando a substituição dos imigrantes e queria algo em troca. A polícia deparou-se com quarenta homens, mulheres e crianças italianos que dividiam a mesma casa, na praça de Juiz de Fora. Representou um grande avanço na política imigratória mineira, vez que mudou sua estrutura administrativa. A regra era que o imigrante mal conhecesse o país para onde ia ou que partisse iludido quanto ao ponto de destino que verdadeiramente preferia ou aceitando aparentemente o direção que lhe era oferecido. Este papel era desempenhado exclusivamente por agentes e subagentes italianos, residentes no Reino. Isso se deu por meio de constantes publicações em periódicos italianos, mostrando as riquezas naturais, o clima ameno, as vantagens e proteções da lei aos estrangeiros que quisessem se fixar em Minas.

Leave a Reply

Your email address will not be published.